Investigadora publica capítulo em obra sobre novos cineastas portugueses

A doutora Mariana Duccini, investigadora do MidiAto, é uma das autoras do livro Geração invisível – os novos cineastas portugueses [disponível em versão online], produzido pelo LabCom , da Universidade da Beira Interior, na Covilhã, em Portugal. Duccini publicou um capítulo chamado “OEl Dorado’ como não-lugar: performances do poder em ‘Viagem a Portugal, de Sérgio Tréfaut”.

Leia abaixo o resumo do texto:

A organização de elementos audiovisuais na tessitura dos filmes dinamiza uma inscrição da experiência social: é na mise-em-scène, como sistema ordenado de representações, que podem ser depreendidos os gestos articuladores do poder, assim como o engajamento dos sujeitos nos espaços simbólicos decorrentes desse processo. A mise‑en‑scène  institui‑se então como facto social. Face a essa refexão, propomos uma análise da longa‑metragem Viagem a Portugal, de Sérgio Tréfaut, a fim de depreender como as opções estético-estilísticas que se materializam nas obras (assim como as características do regime ficcional que a engendram) ordenam formas de visibilidade ancoradas numa crítica sobre as instituições de poder na sociedade portuguesa contemporânea.

Referências: 

DUCCINI, Mariana. “El Dorado como não-lugar: Performances do poder em Viagem a Portugal, de Sérgio Tréfaut“. In: PEREIRA, Ana Catarina; CUNHA, Tito Cardoso e. Geração invisível: os novos cineastas portugueses. Covilhã: LabCom, 2013.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s