Seane Melo divulga texto sobre os mitos sobreviventes do Watergate

Bob Woodward e Carl Bernstein, jornalistas do caso Watergate

Seane Melo, mestranda na ECA/USP e pesquisadora do MidiAto, é autora, em parceria com Lieli Loures Malard Monteiro, também mestranda da ECA, do artigo “Os mitos sobreviventes de Watergate e suas implicações no jornalismo investigativo atual”, divulgado neste semana pela Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo. O trabalho fez parte do I Seminário de Pesquisa em Jornalismo Investigativo, realizado na Universidade Anhembi-Morumbi, em São Paulo, em julho deste ano.

Leia o resumo do texto:

O que aconteceria se um dos maiores símbolos do jornalismo investigativo, internacionalmente reconhecido, se caracterizasse pelo vazamento de informações de investigações oficiais? Neste artigo, pretendemos fazer esta problematização para refletir se a análise de alguns mitos do jornalismo investigativo pode alargar a compreensão sobre o que ele é. Por fim, colocamos em análise uma proposta conceitual menos recorrente a partir da observação da cobertura de uma investigação no Brasil e seus efeitos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s