Rosana Soares apresenta trabalho sobre crítica musical em Havana

cartel_habana“A politização da crítica musical e o processo de legitimação da Música Popular no Brasil”. Sob esse título, os professores livre-docentes da ECA/USP Rosana de Lima Soares, uma das líderes do MidiAto, e Eduardo Vicente apresentaram resultados de sua pesquisa no XII Congresso da IASPM-AL (Seção Latino-Americana da Associação Internacional para o Estudo da Música Popular). O evento foi realizado entre os dias 7 e 11 de março de 2016, em Havana.

A IASPM-AL se volta para o estudo das músicas populares latino-americanas e caribenhas em qualquer de suas dimensões estéticas, usos e períodos históricos. Suas atividades incluem tanto a transmissão de experiência de músicos práticos quanto a produção teórica de estudiosos e acadêmicos que realizam aportes ao conhecimento social por meio da problematização das músicas populares.

Leia abaixo o resumo do trabalho:

Desde suas origens, a crítica musical especializada desempenha papel fundamental para a formação do gosto do público, valorização de artistas e gêneros musicais, consolidação do consumo cultural e instauração de novas tendências. Considerando a crítica escrita como articuladora de imaginários sociais por meio de seus discursos, a comunicação discutirá sua importância para a música popular brasileira nas décadas de 1960 e 1970, um período de especial significação política e cultural para o país.

Naquele momento, segundo Marcos Napolitano, “a renovação da crítica e do pensamento musicais que se seguiu à ‘era dos festivais’ e ao movimento tropicalista (1967/ 1968) fez nascer uma nova crítica musical ao mesmo tempo em que inseriu, definitivamente, o problema da música popular no pensamento acadêmico das ciências humanas e artes, até então refratário a tal tema” .

Com o objetivo de evidenciar a politização da crítica musical no período, a comunicação irá privilegiar o debate intelectual que se desenvolve a partir do surgimento do Tropicalismo, com as apresentações de Caetano Veloso e Gilberto Gil no III Festival da Record, em 1967, e o lançamento do disco Tropicália (Philips) no ano seguinte.

Nesse sentido, o trabalho discutirá os posicionamentos políticos e estéticos expressos nos trabalhos de autores como José Ramos Tinhorão, José Miguel Wisnik, Nelson Motta, Roberto Schwarz, Júlio Medaglia, Gilberto Vasconcellos, Augusto de Campos e Caetano Veloso, entre outros. A intenção é mostrar como as questões políticas acabaram por ganhar especial relevo nos debates em torno daquele movimento musical, envolvendo temas como nacionalismo, alienação, engajamento, patrulhamento ideológico, indústria musical e imperialismo cultural, entre outros.

Pretende-se mostrar, por um lado, a contribuição do debate intelectual para a legitimação e desenvolvimento da rica tradição musical brasileira. Por outro, busca-se evidenciar a complexidade do debate político e estético proposto pelo Tropicalismo, ressaltando-se também a forma pela qual Caetano Veloso participou da discussão então desenvolvida através de suas músicas e dos textos que publicou.

A hipótese de trabalho é a de que embora a politização da produção cultural brasileira tenha ocorrido de forma significativa desde pelo menos os anos 1950, possibilitando o surgimento de manifestações artísticas como o Cinema-Novo e o Teatro de Arena, entre outras, a interdição das vias tradicionais de debate político determinada pela ditadura militar, instaurada no Brasil desde 1964, acabou por intensificar a politização da crítica cultural brasileira, tornando mais urgentes as questões de posicionamento ideológico. Ao reverberar essas questões, a crítica acabou por ampliar seu leque de abrangência, não se circunscrevendo apenas à estética musical e ao campo de produção da música popular.

Embasada numa discussão mais ampla sobre a função da crítica cultural e analisando o papel de diferentes publicações e intelectuais ligados à música popular no período analisado, a comunicação busca refletir, também, sobre o cenário do jornalismo cultural brasileiro no período e sobre a relação entre crítica e arte no Brasil.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s