Pesquisadores do MidiAto se apresentam no congresso da SBPjor

O 15º Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo (SBPJor), sediado no Departamento de Jornalismo e Editoração da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, no começo de novembro, contou com as apresentações de membros do MidiAto.

Felipe Polydoro mostrou seu trabalho no dia 10 de novembro, na sessão 12, “Fotojornalismo”, intitulado “Flagrantes visuais amadores e impacto público: apontamentos sobre o caso de Favela Naval (1997)”. Veja abaixo o resumo:

Na sua edição de 31 de março de 1997, o Jornal Nacional (Rede Globo) veiculou uma série de reportagens sobre práticas violentas de policiais militares contra moradores de Favela Naval, em Diadema (SP). De grande repercussão, o escândalo desencadeou consequências políticas e institucionais diretas. Nossa hipótese é de que um dos fatores a amplificar o impacto foi o modo como a denúncia ganhou visibilidade: uma filmagem amadora produzida por um cinegrafista independente em colaboração com moradores da região. Neste trabalho, trazemos um levantamento inicial de elementos que permitam articular, de um lado, as especificidades estéticas, narrativas e discursivas das reportagens produzidas a partir do vídeo amador e, de outro, o contexto social, político e institucional em que eclode o acontecimento de Favela Naval.

“Liberdade de expressão, humor e ofensa: análise discursiva dos jornais Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo” foi o título do artigo que Nara Lya Cabral Scabin apresentou como “comunicação livre”. Abaixo, o resumo:

Este trabalho pretende analisar os discursos sobre liberdade de expressão, humor e ofensa que emergem nos jornais Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo, entre 2012 e 2016. Como procuramos mostrar ao longo do artigo, as polêmicas em torno de manifestações humorísticas trazida à luz na esfera pública são marcadas por discursos sobre a colisão entre direitos fundamentais. Nossos achados de pesquisa indicam que o posicionamento dos jornais analisados é caracterizado ora pela invisibilização do Outro, ora pelo enquadramento do Outro a partir de categorias binárias. À guisa de considerações finais, buscamos discutir o papel do campo da Comunicação nesse debate, destacando a urgência da construção de uma esfera de crítica jornalística eticamente comprometida com o desafio da representação da alteridade.

Juliana Doretto assinou com Thais Furtado, professora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, o artigo “A “invasão” das crianças no discurso jornalístico: a representação não desejada da infância”, no coordenada Jornalismo e Discurso. Leia o resumo:

Meninas e meninos, nos discursos jornalísticos, vêm sendo representados a partir de estereótipos. Essas representações podem ser resumidas em uma dicotomia: o ser inocente, que deve ser protegido; e, em oposição, o delinquente, que transgride o papel esperado para essa fase da vida. A “invasão” dos filhos do pesquisador Robert Kelly durante entrevista concedida à rede de televisão BBC teve grande repercussão, gerando discussões sobre estereótipos do comportamento paterno e materno e da mulher estrangeira, mas também trazendo uma representação não esperada da infância, em que o brincar perturba a seriedade da narrativa jornalística. Pelo viés da Análise do Discurso de linha francesa, percebemos que a “invasão” rompe o contrato de comunicação estabelecido na entrevista, o que poderia explicar sua repercussão. Por fim, vimos que ela interfere também na representação dos adultos esperada na situação de comunicação.

 

Anúncios

Pesquisadores do MidiAto assinam capítulos no livro “Fluxos Culturais”

Rosana de Lima Soares, uma das líderes do MidiAto, assina em coautoria com Eduardo Vicente o capítulo “Não existe fronteira para a minha poesia: diálogos entre a cultura hip hop e a tradição da MPB” no livro “Fluxos Culturais: arte, educação, comunicação e mídias”, lançado em outubro de 2017. A publicação tem organização de Rogério de Almeida e Marcos Beccari da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo.

A edição também conta com o texto “O problema da superinterpretação das narrativas audiovisuais” de Sílvio Anaz, pós-doutorando no Programa de Pós-Graduação em Meios e Processos Audiovisuais da ECA/USP.fluxos culturais

O livro é uma coletânea que reúne investigações ligadas, direta ou indiretamente, a dois grupos de pesquisa: o Grupo de Estudos sobre Itinerários de Formação em Educação e Cultura – GEIFEC e o Laboratório Experimental de Arte-Educação e Cultura – Lab_Arte, ambos da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo. Tendo em foco um amplo e impreciso território que abarca arte, educação, comunicação e mídias, a obra apresenta o modo como alguns professores/as e pesquisadores/as, com diferentes formações e orientações teóricas, conjugam e promovem a diversidade de processos formativos entrecruzados com outros modos de expressão cultural. Assim, mais do que um conjunto de reflexões ou testemunhos sobre a cultura contemporânea, trata-se de desenrolar, por meio de vozes distintas, alguns fluxos culturais que nos perfazem.

O livro Fluxos Culturais está disponível para download no Portal de Livros Abertos da USP.

MidiAto participa do seminário Emergências: novas realidades e as mídias, na PUC-MG

novas-realidades-corrigido-1Entre os dias 3 e 5 de outubro, pesquisadores do MidiAto participam do Seminário Emergências – novas realidades e as mídias, organizado pelo grupo de pesquisa Mídia e Narrativa, da PUC de Minas Gerais.

Rosana Soares, uma das líderes do MidiAto, e Ivan Paganotti (ECA/USP), conduzem a apresentação “O mundo cão de Tudo por um furo: o entretenimento como instrumento (e crítica) da busca pela audiência”, na terça, 3/10, às 19h, na mesa Crítica das ficções audiovisuais. Na quarta, 4/10, às 9h, é a vez dos pesquisadores Fernanda Elouise Budag (Fapcom) e José Augusto Mendes Lobato (UAM, USJT) falarem sobre “(Re)visitar o Outro nas mídias: empatia e alteridade nas construções ficcionais e jornalísticas contemporâneas”, na mesa Entre a telenovela e o jornalismo: questões de alteridade.

Cíntia Liesenberg (PUC Campinas) e Nara Lya Cabral Scabin (UAM) apresentam “A Cracolândia de São Paulo no Le Monde Diplomatique: entre (in)visibilidades e vozes (des)autorizadas”, durante a mesa Narrativas jornalísticas e inclusão social (às 14h30). Eduardo Paschoal (ECA-USP) e Thiago S. Venanzoni (ECA-USP) debatem “A emergência das imagens: estética e política na construção do real” às 16h30, na mesa A estética do Outro: imagens entre cinema e reportagem. Todas as apresentações ocorrem no auditório 2, no prédio 5, da PUC Minas.

Na quinta-feira, 5 /10, às 14h30, na Sala Multimeios do prédio 42, Andrea Limberto (ECA-USP) e Sofia Franco Guilherme (ECA-USP) falam sobre “Emergências sincréticas a partir da produção de Gira pelo Grupo Corpo”, durante a mesa Saberes representativos e narrativas.

Investigadores do MidiAto também participação do evento Jornada das Utopias, que ocorre paralelamente ao seminário. Eles ministrarão oficinas: Thiago Venanzoni fala sobre Videorreportagem multiplataforma (dias 4 e 5/10); Andrea Limberto aborda Websemântica e dados abertos (dias 4 e 5/10); e Silvio Anaz apresenta “Criando séries televisivas complexas (dia 5/10). Veja a programação completa em: https://www.facebook.com/Jornadadasutopias/.

Ivan Paganotti fala sobre Fake News na CDN Talks

O pesquisador do MidiAto Ivan Paganotti participou na última sexta-feira, 14 de setembro, de edição da CDN Talks sobre fake news e pós verdade, discutindo a importância do jornalismo profissional frente à ascensão de publicações de notícias falsas. O evento, promovido pela agência CDN Comunicação, contou também com a presença do editor-chefe do Nexo, Conrado Corsalette.

21743547_809464015888791_7336980306795477966_o
CDN Talks sobre Fake News, com a participação de Ivan Paganotti (à dir.)

Confira a seguir um trecho da entrevista de Paganotti ao Portal Comunique-se:

Vamos poder aproximar a reflexão acadêmica e a prática jornalística de um público amplo que, desde a eclosão da crise das notícias fraudulentas nos últimos meses, renovou sua percepção sobre a necessidade de ter acesso a informações relevantes e apuradas

 Assista ao vídeo do evento, disponibilizado pela CDN.

Investigadores do MidiAto se apresentam no Intercom, em Curitiba

*Atualizado em 12/9, às 11h47

Pesquisadores do MidiAto debatem seus artigos no Intercom (Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação), que ocorre até 9 de setembro, em Curitiba (PR).

José Augusto Mendes Lobato, professor da Universidade Anhembi Morumbi e pesquisador do MidiAto, assina, com  Mayara Luma Assmar Correia Maia Lobato (ESPM-SP), o artigo “Alteridade, Empatia e Afetividade no Jornalismo: Por Uma Desinstrumentalização do Olhar Sobre o Outro na Narrativa de Informação”, apresentado no GP (Gruupo de Pesquisa) Teoria do Jornalismo. Leia o resumo abaixo:

Partindo da ideia de que a narrativa jornalística é, mais que um campo de repasse de informação, lugar de encontro e descoberta do outro em variados níveis e categorias, este texto problematiza as funções e o modo como a alteridade é significada em gêneros jornalísticos ou iniciativas híbridas. A ancoragem nos conceitos de exclusão, representação e identidade-alteridade dá sequência a um debate sobre a natureza testemunhal do narrar jornalístico e seu poder afetivo e sensível. Ao fim, notamos que, de forma explícita ou não, e dentro ou fora do jornalismo convencional, pode-se des-instrumentalizar o excluído/marginalizado em narrativas de alteridade, visando à sua tradução, compreensão e leitura.

Fernanda Elouise Budag, docente da Fapcom, fala do artigo “Imersão narrativa: discursos e materialidades em série norte-americana”, no GP Estudos de televisão e televisualidades. Veja o resumo do trabalho:

Apresentamos neste espaço uma síntese/recorte dos resultados finais de nossa tese de doutorado, que assumiu como objeto empírico um produto televisivo, a série norte-americana Once upon a time. De forma subjacente, ao longo de todo o estudo, buscamos contribuir teórica e metodologicamente com a pesquisa de textos televisuais. Com cerne na dimensão discursiva, nosso objetivo foi investigar como opera a intertextualidade (KRISTEVA, 2012; FIORIN, 2003) na construção narrativa dessa série contemporânea. Para tanto adotamos uma metodologia que caminha do plano verbal ao imagético. Sendo a narrativa em foco dividida em dois textos diegéticos distintos, entre os resultados mais singulares da investigação destacamos que enxergamos nos objetos cênicos os seus grandes articuladores intertextuais.

Nara Lya Cabral Scabin, doutoranda pela ECA/USP, apresentou o trabalho “Liberdade de expressão, uma liberdade complexa” no GP Comunicação, Mídias e Liberdade de Expressão. Veja o resumo do artigo:

Neste artigo, traçamos reflexões acerca das crises contemporâneas que constituem
fatores decisivos à compreensão do contexto em que emergem disputas identitárias a propósito de padrões discursivos e linguísticos, manifestações em torno do estatuto político da representação, reivindicações de maior representatividade por parte das minorias sociais nos meios de comunicação e polêmicas em torno do potencial ofensivo de determinadas produções discursivas em relação a esses grupos. Entre essas crises, interessa-nos discutir as tensões e reposicionamentos que se colocam em relação aos discursos que compõem o debate sobre liberdade de expressão na atualidade, marcada pelo fim do consenso liberal sobre a liberdade de expressão, pela complexidade da ponderação entre direitos fundamentais e pelo ecoar das vozes do multiculturalismo

Por fim, “Coreografando o Grupo Corpo no YouTube e no telejornalismo: O audiovisual como registro do processo de criação da dança” foi o trabalho debatido por Sofia Franco Guilherme, mestranda pela ECA/USP no GP Estudos de Televisão e Televisualidade.

Juliana Doretto conduz entrevista sobre jornalismo de dados

Apresentado pela pesquisadora do MidiAto Juliana Doretto, a terceira edição do programa de entrevistas “Visões do Jornalismo”, do Mestrado Profissional em Jornalismo do Fiam-Faam Centro Universitário, teve como tema o jornalismo de dados.

O jornalista Léo Arcoverde, fundador e editor-chefe do site Fiquem Sabendo, e André Rosa de Oliveira, doutor em Comunicação pela Universidade Metodista de São Paulo e estudioso das bases de dados jornalísticas na web, falaram sobre a definição e o surgimento do conceito, além dos dilemas éticos e das dificuldades dessa prática jornalística.

Veja o programa:

 

O programa “Visões do Jornalismo” é veiculado mensalmente pelo canal da Fiam no YouTube e apresentado pela professora Juliana Doretto. Veja os episódios anteriores aqui.

Rosana Soares e Juliana Doretto participam da Compós, em SP

19023450_1937250109890738_6901400886903461900_o
Apresentação no GT Cultura das Mídias

O 26º Encontro da Compós, a Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação, ocorrido em junho de 2017, teve a participação de investigadores do MidiAto.

Rosana de Lima Soares, uma das líderes do grupo, foi vice-coordenadora do Grupo de Trabalho Cultura das Mídias, coordenado pelo professor da PUC Minas Márcio Serelle. O GT se volta ao “estudo de produtos e de processos culturais no âmbito da comunicação, abrangendo práticas discursivas diversas postas em circulação por diferentes meios”, segundo sua ementa.

Juliana Doretto, professora do Mestrado Profissional do Fiam-Faam, apresentou trabalho no Grupo de Trabalho “Recepção: processos de interpretação, uso e consumo midiáticos”. O texto de Doretto aborda a participação de crianças e jovens na construção da narrativa jornalística em veículos a eles destinados. A autora estudou cartas enviadas por leitores à revista Ciência Hoje das Crianças.

Rosana Soares e Silvio Anaz falam sobre Blade Runner na Tríade

cover_issue_204_pt_BR

Rosana Lima Soares, uma das líderes do MidiAto, e Silvio Anaz, pesquisador do grupo, são os autores de “O mesmo e o outro em Blade Runner”, artigo publicado na revista Tríade – Comunicação, Cultura e Mídia, da Universidade de Sorocaba. Silvio desenvolve pesquisa de pós-doutorado no Programa de Pós-Graduação em Meios e Processos Audiovisuais da ECA-USP.

O artigo aborda aspectos míticos do clássico filme de Ridley Scott. Veja abaixo o resumo do texto:

 

Este artigo tem como objetivo apresentar possibilidades teóricas e metodológicas para o estudo de narrativas audiovisuais contemporâneas presentes nas mídias. Por meio da análise mitocrítica e de aportes conceituais advindos da teoria geral do imaginário (Gilbert Durand), analisaremos alguns aspectos míticos presentes no filme Blade Runner, o caçador de androides (Ridley Scott, 1982) apontando para processos de identidade e de alteridade nas mídias, e articulando questões relativas à construção de estigmas e estereótipos nelas presentes. Nesse percurso, destacaremos os processos de humanização do protagonista e do antagonista em Blade Runner, o que nos leva à questão da empatia e da aceitação do Outro e do diferente nas narrativas audiovisuais contemporâneas.

Rosana Soares assina prefácio de “Cultura da imagem e sociedade do espetáculo”

cultura-imagem-211x300Rosana de Lima Soares, uma das líderes do MidiAto, assina o prefácio do livro “Cultura da imagem e sociedade do espetáculo” ( Editora Uni, 2016), organizado pelos professores Ana Luiza Coiro Moraes e Cláudio Novaes Pinto Coelho, ambos da Faculdade Cásper Líbero. O livro traz  textos que “foram desenvolvidos na ambiência do grupo de pesquisa Comunicação e Sociedade do
Espetáculo”, do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Faculdade Cásper Líbero. “A maior parte deles tem origem no 3º Seminário Comunicação, Cultura e Sociedade do Espetáculo, promovido em outubro de 2015 pelo grupo de pesquisa liderado por Cláudio Novaes Pinto Coelho”, diz a apresentação da obra.

O texto de Rosana Soares, intitulado  “Cultura das imagens na contemporaneidade”, diz que o “livro oferece possíveis passagens ao abordar a concepção de cultura em Guy Debord por meio de duas vertentes: primeiramente, como reprodutora da sociedade capitalista do espetáculo, posto que inserida em modos de produção e consumo – aspecto predominante quando observamos as mídias – e, em segundo lugar, como possibilidade de uma crítica social em termos políticos e estéticos, contribuindo para o questionamento de modos de vida hegemônicos”.

O livro está disponível on-line.

Juliana Doretto apresenta programa de entrevistas sobre jornalismo

Juliana Doretto, pesquisadora do MidiAto e professora no Mestrado Profissional em Jornalismo do Fiam-Faam Centro Universitário, é a apresentadora do programa de entrevistas Visões do Jornalismo, lançado em junho pelo Fiam-Faam e veiculado pelo canal da instituição no YouTube. A atração será mensal e receberá profissionais e acadêmicos para discutir questões importantes do jornalismo.

No primeiro programa, o Visões do Jornalismo promoveu um debate sobre os cenários do jornalismo digital contemporâneo, com a presença de Elizabeth Saad Corrêa, professora titular da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo e pesquisadora nas áreas de comunicação digital e jornalismo on-line, e Conrado Corsalette, jornalista, diretor de redação do jornal digital Nexo e um dos fundadores do site, lançado no fim de 2015.